TRF-4 acelera julgamento de Lula, o brasileiro mais perseguido pela Justiça

TRF-4 acelera julgamento do ex-presidente Lula em mais uma tentativa de impedir o povo de decidir o que é melhor para o Brasil. Eleição sem Lula é fraude!

Escrito por: Vagner Freitas • Publicado em: 13/12/2017 - 11:23 • Última modificação: 13/12/2017 - 11:27 Escrito por: Vagner Freitas Publicado em: 13/12/2017 - 11:23 Última modificação: 13/12/2017 - 11:27

Edson Rimonatto

Em tempo recorde, o Tribunal Regional Federal (TRF-4) marcou para 24 de janeiro o julgamento do recurso do ex-presidente Lula contra condenação do Juiz Sérgio Moro no caso do apartamento do Guarujá. O juiz do Paraná também julgou a denúncia de forma acelerada, desprezando todas as provas da inocência de Lula apresentadas pela sua defesa.

O comportamento dos juízes reforça a suspeita de que não existe imparcialidade e mais grave ainda, que parcela do Judiciário brasileiro persegue Lula e quer interferir no processo eleitoral de 2018.

Lula é inocente! E o povo sabe disso. Só quem tem medo da sabedoria popular pode querer tirar do povo o direito de decidir o que é melhor para o Brasil, o direito de votar e eleger o presidente que eles sabem que vai resolver a crise econômica e institucional que tomou conta do país depois do golpe.

A ação de parte do Judiciário antecipa uma decisão que tem de ser tomada nas eleições. Quem decide se Lula deve ou não voltar a ser presidente do Brasil é o povo, jamais o Judiciário.

Lula tem mais de 45% de intenção de votos. Provavelmente se tivesse 5% ou 6% não estaria na mira dos juízes que querem impedi-lo de ser candidato. Lula tem o direito de ser candidato e o povo tem o direito de opinar nas eleições de 2018.

Não é tratando Lula de forma diferenciada, com perseguição e sem direito sequer a uma defesa justa que parte do Judiciário vai impedir o povo de fazer a avaliação final de quem quer no comando do Brasil - um país, que vive uma das mais graves crises de sua história e que precisa de uma liderança política como Lula para voltar a crescer, com justiça e inclusão social.

Para a CUT, é muito preocupante essa inversão de valores, onde a questão jurídica suplanta a política e a opinião do povo, característica básica de uma democracia, que não pode ser ignorada.

A CUT repudia o comportamento parcial e dirigido de parte do Judiciário. Para a CUT, é inaceitável que juízes interfiram no processo eleitoral.

Todas as tentativas de condenar Lula sem prova alguma, só para impedi-lo de ser candidato, é fraude!

Eleição sem Lula é fraude!

 

Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT)

Título: TRF-4 acelera julgamento de Lula, o brasileiro mais perseguido pela Justiça, Conteúdo: Em tempo recorde, o Tribunal Regional Federal (TRF-4) marcou para 24 de janeiro o julgamento do recurso do ex-presidente Lula contra condenação do Juiz Sérgio Moro no caso do apartamento do Guarujá. O juiz do Paraná também julgou a denúncia de forma acelerada, desprezando todas as provas da inocência de Lula apresentadas pela sua defesa. O comportamento dos juízes reforça a suspeita de que não existe imparcialidade e mais grave ainda, que parcela do Judiciário brasileiro persegue Lula e quer interferir no processo eleitoral de 2018. Lula é inocente! E o povo sabe disso. Só quem tem medo da sabedoria popular pode querer tirar do povo o direito de decidir o que é melhor para o Brasil, o direito de votar e eleger o presidente que eles sabem que vai resolver a crise econômica e institucional que tomou conta do país depois do golpe. A ação de parte do Judiciário antecipa uma decisão que tem de ser tomada nas eleições. Quem decide se Lula deve ou não voltar a ser presidente do Brasil é o povo, jamais o Judiciário. Lula tem mais de 45% de intenção de votos. Provavelmente se tivesse 5% ou 6% não estaria na mira dos juízes que querem impedi-lo de ser candidato. Lula tem o direito de ser candidato e o povo tem o direito de opinar nas eleições de 2018. Não é tratando Lula de forma diferenciada, com perseguição e sem direito sequer a uma defesa justa que parte do Judiciário vai impedir o povo de fazer a avaliação final de quem quer no comando do Brasil - um país, que vive uma das mais graves crises de sua história e que precisa de uma liderança política como Lula para voltar a crescer, com justiça e inclusão social. Para a CUT, é muito preocupante essa inversão de valores, onde a questão jurídica suplanta a política e a opinião do povo, característica básica de uma democracia, que não pode ser ignorada. A CUT repudia o comportamento parcial e dirigido de parte do Judiciário. Para a CUT, é inaceitável que juízes interfiram no processo eleitoral. Todas as tentativas de condenar Lula sem prova alguma, só para impedi-lo de ser candidato, é fraude! Eleição sem Lula é fraude!   Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT)



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.