Sindsep-PE participa do Planejamento Estratégico da Condsef/Fenadsef

Sindicato esteve presente no evento com uma delegação de 14 pessoas, 11 representantes.

Escrito por: Ascom Sindsep-PE • Publicado em: 23/05/2017 - 15:29 Escrito por: Ascom Sindsep-PE Publicado em: 23/05/2017 - 15:29

No último final de semana foi realizado o Seminário de Planejamento Estratégico da Condsef/Fenadsef, em Brasília. O Sindsep-PE estava presente no evento com uma delegação de 14 pessoas, 11 representantes do departamento e três diretores da entidade nacional. “Conseguimos um plano de ação enxuto e consensuado. Isso é muito importante”, conta a diretora do Sindsep-PE e da Condsef, Lindinere Ferreira.

O seminário começou na última sexta, 19, com uma análise de conjuntura feita pela vice-presidente da CUT nacional, Carmem Foro, e pela deputada federal Erika Kokay (PT-DF). Carmem ressaltou a importância da CUT ser protagonista nesses movimentos de massa, unificando com as demais centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Ela explica que, diante do cenário instável, o melhor caminho é as Diretas Já! porque a CUT não vai aceitar a Presidência nas mãos de Rodrigo Maia e nem de Carmem Lúcia.

Erika Kokay trouxe elementos sob a ótica do Congresso. Ela avalia como um avanço, no momento, paralisar a tramitação das reformas trabalhista e da Previdência, como também é importante os partidos de esquerdas estarem unidos, inclusive de terem todos, juntos, protocolado pedido de impeachment do presidente Michel Temer.

Para a deputada existem muitas aberrações no Congresso, a exemplo, a CPI da Funai, que está sendo comandada por ruralistas que estão criminalizando os servidores do órgão e procuradores, que estão fazendo o seu trabalho corretamente. Outra coisa esdrúxula é o PL da demarcação das terras indígenas, também comandado por posseiros e grileiros. Salientou a importância da parceria com a CNBB e outros movimentos.

“Nesse momento (de instabilidade do país) é de extrema importância mobilizarmos a base, colocarmos nossas bandeiras de luta. Nos estados, os sindicatos devem continuar participando das mobilizações”, reforça o secretário geral da Condsef, Sérgio Ronaldo. 

Após a análise de conjuntura foi a vez de dar início os grupos de trabalho. Os agrupamentos foram feitos por secretarias e departamentos afins. Dessas discussões foram formulados os seguintes encaminhamentos. Foi definido que na próxima reunião do Conselho Deliberativo de Entidades da Condsef será marcada a data da plenária estatutária e o cronograma de atividades planejadas. Dentre as modificações previstas para o estatuto está a criação de um departamento específico para os trabalhadores das empresas públicas. Em Pernambuco, o Sindsep tem os trabalhadores da Ebserh e Conab.

A Secretaria de Finanças propõe mais transparência e um dos diferenciais é a realização de um plano orçamentário. Outra meta é intensificar a interação da Secretaria de Movimentos Sociais da Condsef com os movimentos sociais e frentes populares. A Secretaria de Gênero, Raça, Etnia e Opressões deve ampliar também o debate da juventude e dos LGBTTs e trazer a discussão para a agenda da Condsef e dos seus sindicatos. Dentre os encaminhamentos do Departamento de Saúde do Trabalhador, deve-se implementar comissão nos órgãos federais. 

Título: Sindsep-PE participa do Planejamento Estratégico da Condsef/Fenadsef, Conteúdo: No último final de semana foi realizado o Seminário de Planejamento Estratégico da Condsef/Fenadsef, em Brasília. O Sindsep-PE estava presente no evento com uma delegação de 14 pessoas, 11 representantes do departamento e três diretores da entidade nacional. “Conseguimos um plano de ação enxuto e consensuado. Isso é muito importante”, conta a diretora do Sindsep-PE e da Condsef, Lindinere Ferreira. O seminário começou na última sexta, 19, com uma análise de conjuntura feita pela vice-presidente da CUT nacional, Carmem Foro, e pela deputada federal Erika Kokay (PT-DF). Carmem ressaltou a importância da CUT ser protagonista nesses movimentos de massa, unificando com as demais centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Ela explica que, diante do cenário instável, o melhor caminho é as Diretas Já! porque a CUT não vai aceitar a Presidência nas mãos de Rodrigo Maia e nem de Carmem Lúcia. Erika Kokay trouxe elementos sob a ótica do Congresso. Ela avalia como um avanço, no momento, paralisar a tramitação das reformas trabalhista e da Previdência, como também é importante os partidos de esquerdas estarem unidos, inclusive de terem todos, juntos, protocolado pedido de impeachment do presidente Michel Temer. Para a deputada existem muitas aberrações no Congresso, a exemplo, a CPI da Funai, que está sendo comandada por ruralistas que estão criminalizando os servidores do órgão e procuradores, que estão fazendo o seu trabalho corretamente. Outra coisa esdrúxula é o PL da demarcação das terras indígenas, também comandado por posseiros e grileiros. Salientou a importância da parceria com a CNBB e outros movimentos. “Nesse momento (de instabilidade do país) é de extrema importância mobilizarmos a base, colocarmos nossas bandeiras de luta. Nos estados, os sindicatos devem continuar participando das mobilizações”, reforça o secretário geral da Condsef, Sérgio Ronaldo.  Após a análise de conjuntura foi a vez de dar início os grupos de trabalho. Os agrupamentos foram feitos por secretarias e departamentos afins. Dessas discussões foram formulados os seguintes encaminhamentos. Foi definido que na próxima reunião do Conselho Deliberativo de Entidades da Condsef será marcada a data da plenária estatutária e o cronograma de atividades planejadas. Dentre as modificações previstas para o estatuto está a criação de um departamento específico para os trabalhadores das empresas públicas. Em Pernambuco, o Sindsep tem os trabalhadores da Ebserh e Conab. A Secretaria de Finanças propõe mais transparência e um dos diferenciais é a realização de um plano orçamentário. Outra meta é intensificar a interação da Secretaria de Movimentos Sociais da Condsef com os movimentos sociais e frentes populares. A Secretaria de Gênero, Raça, Etnia e Opressões deve ampliar também o debate da juventude e dos LGBTTs e trazer a discussão para a agenda da Condsef e dos seus sindicatos. Dentre os encaminhamentos do Departamento de Saúde do Trabalhador, deve-se implementar comissão nos órgãos federais. 



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.