Rejeitada instalação da CCV em Pernambuco

Bancários seguiram a indicação sindical e votaram contra a instalação da CCV no Estado.

Escrito por: SEEC-PE • Publicado em: 06/02/2017 - 12:32 Escrito por: SEEC-PE Publicado em: 06/02/2017 - 12:32

Os funcionários do Banco do Brasil (BB) de Pernambuco votaram, em assembleia realizada na última quinta-feira (2), pela rejeição da adesão à Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) referente aos cargos impactados pela última reestruturação.

A CCV foi instituída por meio de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) assinado entre o BB e a Contraf-CUT, tendo como alvo os bancários que exerceram funções de 8 horas abrangidas pelo acordo e que aderirem ao novo Plano de Cargos e Carreira de 6 horas dentro da reestruturação em curso desde novembro de 2016 ou que já não estejam em funções passíveis de negociação pelo BB. Entretanto, a decisão pela instalação das comissões, ficou a cargo de cada base sindical.

De acordo com a secretária-Geral do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Sandra Trajano, a entidade defendeu a não aprovação da CCV, por avaliar que as negociações dos passivos trabalhistas direto com o banco representam perda para os funcionários. "Somos contrários, porque os funcionários deixam de recorrer à Justiça e negociam valores abaixo do que eles teriam direito", afirma.

Estudos sobre as negociações firmadas por meio dos conselhos de conciliação indicam que o banco paga entre 15% e 22% do valor devido. Após a apresentação do Sindicato, houve um debate sobre a questão e foi encaminhada a votação. Os bancários seguiram a indicação sindical e votaram contra a instalação da CCV no Estado.

Título: Rejeitada instalação da CCV em Pernambuco, Conteúdo: Os funcionários do Banco do Brasil (BB) de Pernambuco votaram, em assembleia realizada na última quinta-feira (2), pela rejeição da adesão à Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) referente aos cargos impactados pela última reestruturação. A CCV foi instituída por meio de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) assinado entre o BB e a Contraf-CUT, tendo como alvo os bancários que exerceram funções de 8 horas abrangidas pelo acordo e que aderirem ao novo Plano de Cargos e Carreira de 6 horas dentro da reestruturação em curso desde novembro de 2016 ou que já não estejam em funções passíveis de negociação pelo BB. Entretanto, a decisão pela instalação das comissões, ficou a cargo de cada base sindical. De acordo com a secretária-Geral do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Sandra Trajano, a entidade defendeu a não aprovação da CCV, por avaliar que as negociações dos passivos trabalhistas direto com o banco representam perda para os funcionários. Somos contrários, porque os funcionários deixam de recorrer à Justiça e negociam valores abaixo do que eles teriam direito, afirma. Estudos sobre as negociações firmadas por meio dos conselhos de conciliação indicam que o banco paga entre 15% e 22% do valor devido. Após a apresentação do Sindicato, houve um debate sobre a questão e foi encaminhada a votação. Os bancários seguiram a indicação sindical e votaram contra a instalação da CCV no Estado.



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.