Protestos e bloqueios marcam o Dia Nacional de Paralisações e Greves

Houve adesão e participação dos companheiros (as) do movimento sindical cutista

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE • Publicado em: 12/11/2016 - 08:27 • Última modificação: 12/11/2016 - 08:39 Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE Publicado em: 12/11/2016 - 08:27 Última modificação: 12/11/2016 - 08:39

Divulgação

Manifestações, protestos e atos públicos marcaram em Pernambuco o Dia Nacional de Paralisações e Greves, nesta sexta-feira, dia 11 de novembro. As Centrais Sindicais estiveram unidas desde às primeiras horas da manhã.

Os rodoviários fecharam várias garagens no Recife das 04 às 08h; os previdenciários realizaram uma manifestação de protesto em frente ao prédio do INSS, em Santo Amaro e os bancários realizaram ato público em frente à agência do Banco do Brasil, no Centro da Cidade. O Sinproja também realizou mobilização.

Por sua vez, os servidores federais foram ao prédio da Sudene para dizer não às medidas nefastas do Governo Temer. Metroviários atrasaram as saídas das composições nas estações do metrô. Além disso, os petroleiros e metalúrgicos fizeram bloqueios nas entradas de acesso à Suape e Refinaria Abreu e Lima. Trabalhadores em Educação fecharam os dois sentidos da BR-232, a mais importante do Estado.

Nos municípios de Petrolândia, Pesqueira e Exu os servidores públicos realizaram atos pelas ruas da cidade. O Sindicato dos Servidores Públicos de Feira Nova e Bezerros também realizaram atividades nesse Dia Nacional de Luta. Em Angelim, Cachoeirinha e Saloá houve uma significativa mobilização da categoria dos professores. Em São José do Egito, o ato público foi organizado pelo STR e pelo Sintepe.

Em conjunto com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, a CUT realizou 26 bloqueios pelas estradas de Pernambuco e os movimentos de moradia, de juventude e de mulheres paralisaram três pontos em Recife.

Houve participação expressiva dos companheiros (as) do Sintepe, Sindsep, Sindsprev, Sindipetro PE PB, Bancários, Sindmetal, Sindacs, Sismub, Sindsepre, Metroviários, Rodoviários, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, Sinderpe, Sinduprom, Sindsaude, Enfermeiros, Servidores do Detran, bem como dos Aeroportuários, Portuários, Vigilantes, e dos Movimentos Sociais (Mulheres, MST, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo). Também houve paralisação na Chesf.

O presidente Carlos Veras, da CUT-PE, ressaltou e explicou os motivos dos bloqueios de estradas e rodovias do Recife, Região Metropolitana e cidades do interior do Estado.“ Neste dia 11 de novembro, é preciso fortalecer as lutas contra as reformas da Previdência e Trabalhista em defesa de empregos e salários. É preciso fortalecer as lutas contra a PEC 55(ex-241) e todos os ataques de retirada de direitos e conquistas”, assinalou.

Segundo ele, os ataques que a classe trabalhadora vêm sofrendo não são poucos . Para começar, o desemprego que atinge 22 milhões de pessoas, segundo o IBGE. Além disso,o Governo Temer pretende resolver essa crise retirando importantes direitos trabalhistas e sociais.

Ele citou também a liberação total da terceirização pode ser votada nos próximos dias pelo Supremo Tribunal Federal (STF), ou seja, é acabar com o trabalho formal e legalizar ainda mais a precarização das condições de trabalho.

“Não podemos aceitar esses ataques que estão sendo impostos pelo Governo golpista de Temer e este Congresso Corrupto e por isso estamos com outras Centrais Sindicais e movimentos sociais. unindo forças neste dia Nacional de Paralisações e Greves. Nenhum direito a menos”, acentuou.

No Recife

BR -101 – Norte – Em frente à Reitoria da UFPE, Cidade Universitária.
Avenidas Norte, Cruz Cabugá (Santo Amaro) e Mascarenhas de Morais (Imbiribeira).
BR 101, em quatro lugares: Goiana, Escada, Gameleira e Palmares.
BR-101 – Sul – Refinaria Abreu e Lima e Suape
BR -232, em seis pontos: Jaboatão. Bonança, Vitória de Santo Antão, Gravatá, Caruaru, Arcoverde
BR -408, Timbaúba e São Lourenço da Mata
BR- 110, Petrolândia
BR- 428, Petrolina. e Santa Maria da Boa Vista e Oroco
BR – 104, Caruaru. e Agrestina
PE -45, Vitória de Santo Antão e Escada
PE – 50, Gloria de Goitá
PE -95, Passira
PE 180, São Bento do Una
PE- 360, Floresta no Trevo para Serra Talhada.

Confirmados 32 bloqueios

Levantamento parcial da paralisação dos professores na base do SINDUPROM-PE

- São Lourenço da Mata
576 professores; 
- Inajá - 235 professores;
- Santa Cruz do Capibaribe 
467 professores;
- Águas Belas
378 professores;
- Surubim- 275 professores;
- Itacuruba- 130professores;
- Quipapa - 320 professores 
- Tacaimbó- 132professores;
- Itapetim - 183 professores;
- Quixaba - 134 professoees;
- Iguaraci - 185 professores;
- Santa Cruz da Baixa Verde
145 professores;
- Calumbi - 134 professores;
- Itaquitinga 153 professores
- Aliança- 467 professores;
- Camutanga-57 professoes
Totaliizando: 4 mil trabalhadores

PARCIALMENTE PARADOS
- Tabira;
- Sanharó 
- Manari
- Mirandiba 
- Verdejante

PARALISADOS 100%
Frei Miguelinho, com 180 professores; Santa Maria do Cambucá, com 220 professores.
Angelim - 156 professores
Cachoeirinha - 256 professores
Saloá - 233 professores

Título: Protestos e bloqueios marcam o Dia Nacional de Paralisações e Greves, Conteúdo: Manifestações, protestos e atos públicos marcaram em Pernambuco o Dia Nacional de Paralisações e Greves, nesta sexta-feira, dia 11 de novembro. As Centrais Sindicais estiveram unidas desde às primeiras horas da manhã. Os rodoviários fecharam várias garagens no Recife das 04 às 08h; os previdenciários realizaram uma manifestação de protesto em frente ao prédio do INSS, em Santo Amaro e os bancários realizaram ato público em frente à agência do Banco do Brasil, no Centro da Cidade. O Sinproja também realizou mobilização. Por sua vez, os servidores federais foram ao prédio da Sudene para dizer não às medidas nefastas do Governo Temer. Metroviários atrasaram as saídas das composições nas estações do metrô. Além disso, os petroleiros e metalúrgicos fizeram bloqueios nas entradas de acesso à Suape e Refinaria Abreu e Lima. Trabalhadores em Educação fecharam os dois sentidos da BR-232, a mais importante do Estado. Nos municípios de Petrolândia, Pesqueira e Exu os servidores públicos realizaram atos pelas ruas da cidade. O Sindicato dos Servidores Públicos de Feira Nova e Bezerros também realizaram atividades nesse Dia Nacional de Luta. Em Angelim, Cachoeirinha e Saloá houve uma significativa mobilização da categoria dos professores. Em São José do Egito, o ato público foi organizado pelo STR e pelo Sintepe. Em conjunto com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, a CUT realizou 26 bloqueios pelas estradas de Pernambuco e os movimentos de moradia, de juventude e de mulheres paralisaram três pontos em Recife. Houve participação expressiva dos companheiros (as) do Sintepe, Sindsep, Sindsprev, Sindipetro PE PB, Bancários, Sindmetal, Sindacs, Sismub, Sindsepre, Metroviários, Rodoviários, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, Sinderpe, Sinduprom, Sindsaude, Enfermeiros, Servidores do Detran, bem como dos Aeroportuários, Portuários, Vigilantes, e dos Movimentos Sociais (Mulheres, MST, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo). Também houve paralisação na Chesf. O presidente Carlos Veras, da CUT-PE, ressaltou e explicou os motivos dos bloqueios de estradas e rodovias do Recife, Região Metropolitana e cidades do interior do Estado.“ Neste dia 11 de novembro, é preciso fortalecer as lutas contra as reformas da Previdência e Trabalhista em defesa de empregos e salários. É preciso fortalecer as lutas contra a PEC 55(ex-241) e todos os ataques de retirada de direitos e conquistas”, assinalou. Segundo ele, os ataques que a classe trabalhadora vêm sofrendo não são poucos . Para começar, o desemprego que atinge 22 milhões de pessoas, segundo o IBGE. Além disso,o Governo Temer pretende resolver essa crise retirando importantes direitos trabalhistas e sociais. Ele citou também a liberação total da terceirização pode ser votada nos próximos dias pelo Supremo Tribunal Federal (STF), ou seja, é acabar com o trabalho formal e legalizar ainda mais a precarização das condições de trabalho. “Não podemos aceitar esses ataques que estão sendo impostos pelo Governo golpista de Temer e este Congresso Corrupto e por isso estamos com outras Centrais Sindicais e movimentos sociais. unindo forças neste dia Nacional de Paralisações e Greves. Nenhum direito a menos”, acentuou. No Recife BR -101 – Norte – Em frente à Reitoria da UFPE, Cidade Universitária. Avenidas Norte, Cruz Cabugá (Santo Amaro) e Mascarenhas de Morais (Imbiribeira). BR 101, em quatro lugares: Goiana, Escada, Gameleira e Palmares. BR-101 – Sul – Refinaria Abreu e Lima e Suape BR -232, em seis pontos: Jaboatão. Bonança, Vitória de Santo Antão, Gravatá, Caruaru, Arcoverde BR -408, Timbaúba e São Lourenço da Mata BR- 110, Petrolândia BR- 428, Petrolina. e Santa Maria da Boa Vista e Oroco BR – 104, Caruaru. e Agrestina PE -45, Vitória de Santo Antão e Escada PE – 50, Gloria de Goitá PE -95, Passira PE 180, São Bento do Una PE- 360, Floresta no Trevo para Serra Talhada. Confirmados 32 bloqueios Levantamento parcial da paralisação dos professores na base do SINDUPROM-PE - São Lourenço da Mata 576 professores;  - Inajá - 235 professores; - Santa Cruz do Capibaribe  467 professores; - Águas Belas 378 professores; - Surubim- 275 professores; - Itacuruba- 130professores; - Quipapa - 320 professores  - Tacaimbó- 132professores; - Itapetim - 183 professores; - Quixaba - 134 professoees; - Iguaraci - 185 professores; - Santa Cruz da Baixa Verde 145 professores; - Calumbi - 134 professores; - Itaquitinga 153 professores - Aliança- 467 professores; - Camutanga-57 professoes Totaliizando: 4 mil trabalhadores PARCIALMENTE PARADOS - Tabira; - Sanharó  - Manari - Mirandiba  - Verdejante PARALISADOS 100% Frei Miguelinho, com 180 professores; Santa Maria do Cambucá, com 220 professores. Angelim - 156 professores Cachoeirinha - 256 professores Saloá - 233 professores



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.