Metalúrgicos lançam campanha de sindicalização contra reformas

Sindicatos mais fortes são alternativa para barrar mudanças que precarizam as relações

Escrito por: RBA • Publicado em: 12/04/2018 - 16:12 Escrito por: RBA Publicado em: 12/04/2018 - 16:12

Contra a retirada de direitos trabalhistas promovidos pelo governo Temer e a tentativa de enfraquecer os sindicatos, a Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM-CUT) está lançando uma campanha de incentivo à sindicalização. Com o slogan "Se Você Acha Que o Sindicato Pode Fazer Mais, Faça Com a Gente – Sindicalize-se", a campanha pretende atingir aqueles trabalhadores não sindicalizados e que dizem não conhecer as entidades que os representam. 

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, no ano passado os sindicalizados somam cerca de 18,4 milhões, o que corresponde a 19,5% do total de 94 milhões de empregados. Entre os não filiados, 26,4% dizem não conhecer o sindicato de sua própria categoria.

Para o presidente da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos de São Paulo (FEM-CUT), Luiz Carlos Dias, fortalecer os sindicatos neste momento serve para que os trabalhadores consigam se fortalecer nas negociações das respectivas categorias, impedindo a implementação de medidas de precarização do trabalho que constam na reforma trabalhista.

"Se todos nós caminharmos juntos, o patrão vai ficar enfraquecido, as medidas não acontecerão no chão de fábrica, no dia a dia. É o que a gente espera", afirmou ele ao repórter Leandro Chaves, para o Seu Jornal, da TVT

Assista à reportagem do Seu Jornal, da TVT:

 

Título: Metalúrgicos lançam campanha de sindicalização contra reformas, Conteúdo: Contra a retirada de direitos trabalhistas promovidos pelo governo Temer e a tentativa de enfraquecer os sindicatos, a Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM-CUT) está lançando uma campanha de incentivo à sindicalização. Com o slogan Se Você Acha Que o Sindicato Pode Fazer Mais, Faça Com a Gente – Sindicalize-se, a campanha pretende atingir aqueles trabalhadores não sindicalizados e que dizem não conhecer as entidades que os representam.  De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, no ano passado os sindicalizados somam cerca de 18,4 milhões, o que corresponde a 19,5% do total de 94 milhões de empregados. Entre os não filiados, 26,4% dizem não conhecer o sindicato de sua própria categoria. Para o presidente da Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos de São Paulo (FEM-CUT), Luiz Carlos Dias, fortalecer os sindicatos neste momento serve para que os trabalhadores consigam se fortalecer nas negociações das respectivas categorias, impedindo a implementação de medidas de precarização do trabalho que constam na reforma trabalhista. Se todos nós caminharmos juntos, o patrão vai ficar enfraquecido, as medidas não acontecerão no chão de fábrica, no dia a dia. É o que a gente espera, afirmou ele ao repórter Leandro Chaves, para o Seu Jornal, da TVT.  Assista à reportagem do Seu Jornal, da TVT:  



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.