Metalúrgicos (as) aprovam proposta dos patrões e fecham campanha salarial de 2017

Reajuste de 3% com 1.3% de ganho real, e Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) garantida, sem ataques da reforma trabalhista

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE • Publicado em: 18/10/2017 - 09:58 • Última modificação: 18/10/2017 - 10:19 Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE Publicado em: 18/10/2017 - 09:58 Última modificação: 18/10/2017 - 10:19

Sindmetal-PE

Reunidos em Assembleia Geral na noite desta terça-feira (17/1), no auditório do Sindicato dos Bancários, bairro da Boa Vista, os trabalhadoras (as) metalúrgicos aceitam aprovaram a proposta da classe patronal. São 3% de reajuste, com 1.3% de ganho real, e Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) garantida, sem ataques da reforma trabalhista. Uma grande vitória para a categoria, que se destaca no Brasil pelas conquistas.

De acordo com o presidente do Sindmetal-PE, Henrique Gomes, o percental de  3% é para todos os trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicos de Pernambuco. "Obtivemos um ganho real de 1.3%, e conseguimos fechar uma das melhores propostas salariais na atual conjuntura. No entanto, ressaltamos alguns pontos que barramos da reforma trabalhista que, vai entrar em vigor a partir do dia 11 de novembro.É preciso alertar aos metalúrgicos (as) que a classe patronal vai aplicar a reforma trabalhista em todas as empresas, porém, conseguimos através de lutas e mobilizações impedir alguns itens", destacou..

Confiram os pontos importantes da negociação. 1 - A homologação continuará sendo feita no Sindicato, 2 - As gestantes e lactantes não poderão trabalhar e locais perigosos e insalubres. 3 - O banco de horas não será aplicado na produção. 4 – Horário de 12 por 36 horas só será aplicado em vigilância, higiene e comissionamento do Estaleiro Atlântico Sul (EAS) que já é aplicado e Estaleiro VARD Promar. No restante da produção está proibido. 5 - 30 minutos de refeição. Só poderá ser aplicado, através do Sindicato fazendo uma avaliação e depois os trabalhadores vão decidir se concorda ou não através de uma assembleia geral fechada (o Sidmetal é totalmente contra). 6 – Terceirização. Se caso a empresa terceirizar deverá ser metalúrgicos e repassar as mesmas condições da empresa contratante. Aa lei nova diz que qualquer empresa pode escolhe seu sindicato para ser representante. Exemplo: um soldador. O Sindicato pode ser o de limpeza. 7 - Mantida a representação sindical (delegados).

Henrique Gomes agradeceu e parabenizou a diretoria do Sindicato pelo empenho e dedicação, aos trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicas que lutaram e mobilizaram e sempre acreditaram no nosso trabalho, com mais transparência, compromisso, força e sabedoria.

"A luta continuará firme e forte, sempre em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicos de Pernambuco. Agradecemos aos nossos advogados, a companheira do Dieese, Jaqueline Natal, a Imprensa pela cobertura, como também ao presidente da CUT-PE Carlos Veras", pontuou..

Título: Metalúrgicos (as) aprovam proposta dos patrões e fecham campanha salarial de 2017, Conteúdo: Reunidos em Assembleia Geral na noite desta terça-feira (17/1), no auditório do Sindicato dos Bancários, bairro da Boa Vista, os trabalhadoras (as) metalúrgicos aceitam aprovaram a proposta da classe patronal. São 3% de reajuste, com 1.3% de ganho real, e Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) garantida, sem ataques da reforma trabalhista. Uma grande vitória para a categoria, que se destaca no Brasil pelas conquistas. De acordo com o presidente do Sindmetal-PE, Henrique Gomes, o percental de  3% é para todos os trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicos de Pernambuco. Obtivemos um ganho real de 1.3%, e conseguimos fechar uma das melhores propostas salariais na atual conjuntura. No entanto, ressaltamos alguns pontos que barramos da reforma trabalhista que, vai entrar em vigor a partir do dia 11 de novembro.É preciso alertar aos metalúrgicos (as) que a classe patronal vai aplicar a reforma trabalhista em todas as empresas, porém, conseguimos através de lutas e mobilizações impedir alguns itens, destacou.. Confiram os pontos importantes da negociação. 1 - A homologação continuará sendo feita no Sindicato, 2 - As gestantes e lactantes não poderão trabalhar e locais perigosos e insalubres. 3 - O banco de horas não será aplicado na produção. 4 – Horário de 12 por 36 horas só será aplicado em vigilância, higiene e comissionamento do Estaleiro Atlântico Sul (EAS) que já é aplicado e Estaleiro VARD Promar. No restante da produção está proibido. 5 - 30 minutos de refeição. Só poderá ser aplicado, através do Sindicato fazendo uma avaliação e depois os trabalhadores vão decidir se concorda ou não através de uma assembleia geral fechada (o Sidmetal é totalmente contra). 6 – Terceirização. Se caso a empresa terceirizar deverá ser metalúrgicos e repassar as mesmas condições da empresa contratante. Aa lei nova diz que qualquer empresa pode escolhe seu sindicato para ser representante. Exemplo: um soldador. O Sindicato pode ser o de limpeza. 7 - Mantida a representação sindical (delegados). Henrique Gomes agradeceu e parabenizou a diretoria do Sindicato pelo empenho e dedicação, aos trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicas que lutaram e mobilizaram e sempre acreditaram no nosso trabalho, com mais transparência, compromisso, força e sabedoria. A luta continuará firme e forte, sempre em defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras metalúrgicos de Pernambuco. Agradecemos aos nossos advogados, a companheira do Dieese, Jaqueline Natal, a Imprensa pela cobertura, como também ao presidente da CUT-PE Carlos Veras, pontuou..



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.