MEC quer nome dos estudantes que ocupam campis federais

Nesta terça, 25 de outubro, é Dia Nacional de Mobilização no setor da Educação

Escrito por: Ascom Sindsep-PE • Publicado em: 24/10/2016 - 13:27 • Última modificação: 24/10/2016 - 16:37 Escrito por: Ascom Sindsep-PE Publicado em: 24/10/2016 - 13:27 Última modificação: 24/10/2016 - 16:37

O Brasil vive uma ditadura da elite de direita revestida de democracia. Após o impeachment sem crime de Dilma Rouseff, a abertura do pré-sal para as petrolíferas multinacionais em detrimento à Petrobras e a PEC 241 para congelar os gastos com educação e saúde por 20 anos, agora é a vez de reprimir manifestações populares, tal qual o regime militar. É sabido que alguns campis de universidades e institutos federais estão ocupados por estudantes que se posicionam contra a proposta de emenda constitucional, conhecida também como a PEC do Teto. Manifestação legítima e pacífica, mas não para o Ministério da Educação que está pedindo a cabeça dos estudantes. 

No último dia 19, o Ministério da Educação encaminhou um ofício circular aos dirigentes da rede federal de educação. No documento é solicitada uma manifestação formal, num prazo de cinco dias, acerca da existência de eventual ocupação dos espaços físicos das instituições e a identificação dos respectivos estudantes, com o intuito de puni-los.         

“Isso mostra que estamos regredindo na história. Ações desse tipo só foram vistas no período militar. Nessa curta democracia não existiu ações desse tipo. Nós repudiamos veementemente essa ação do MEC, nada democrática”, dispara a coordenadora geral do Sindsep-PE, Graça Oliveira.

Em todo o Brasil estudantes das universidades e institutos estão ocupando campis. Em Pernambuco, da base do Sindsep-PE, já estão paralisados os campis do IF Sertão-PE Ouricuri e Petrolina e o IFPE Recife e Pesqueira. Nesta quarta, 26, tem assembleia no IFPE de Belo Jardim para dsicutir a mobilização do setor. 

Nesta terça, 25 de outubro, é Dia Nacional de Mobilização no setor da Educação. Em Recife, às 14h, tem ato público. A concentração será às 14h, na Faculdade de Direito, na rua do Riachuelo. Às 16h, os manifestantes saem em caminhada até a praça do Diario. A manifestação é contra a PEC 241 a reforma do ensino médio. Também vão participar da ação entidades sindicais estaduais e municipais do setor, como o Sintepe e a Adufepe.

VOTAÇÃO DA PEC 241
Entre esta segunda e terça-feira, 24 e 25 de outubro, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 será votada em segundo turno na Câmara dos Deputados. O primeiro dia será para apreciação no Plenário e o segundo, a votação dos destaques. As centrais sindicais e sindicatos de todo o Brasil estão mobilizados contra a matéria que congela os investimentos na educação e saúde por 20 anos.    

No dia 24, ainda de madrugada, sindicalistas devem fazer um trabalho de corpo a corpo nos aeroportos de todo o Brasil para conversar com os parlamentares no embarque. Da mesma forma, os congressistas serão recebidos no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília. E os protestos não param por ai. A manifestação continua durante todo o dia 24 e entram pelo dia 25, no Congresso Nacional.

De acordo com informações do site da Câmara, a PEC 241 pode ser votada no dia 9 de novembro pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e pelo plenário do Senado, em primeiro turno. Já o segundo turno seria no dia 13 de dezembro.

Título: MEC quer nome dos estudantes que ocupam campis federais, Conteúdo: O Brasil vive uma ditadura da elite de direita revestida de democracia. Após o impeachment sem crime de Dilma Rouseff, a abertura do pré-sal para as petrolíferas multinacionais em detrimento à Petrobras e a PEC 241 para congelar os gastos com educação e saúde por 20 anos, agora é a vez de reprimir manifestações populares, tal qual o regime militar. É sabido que alguns campis de universidades e institutos federais estão ocupados por estudantes que se posicionam contra a proposta de emenda constitucional, conhecida também como a PEC do Teto. Manifestação legítima e pacífica, mas não para o Ministério da Educação que está pedindo a cabeça dos estudantes.  No último dia 19, o Ministério da Educação encaminhou um ofício circular aos dirigentes da rede federal de educação. No documento é solicitada uma manifestação formal, num prazo de cinco dias, acerca da existência de eventual ocupação dos espaços físicos das instituições e a identificação dos respectivos estudantes, com o intuito de puni-los.          “Isso mostra que estamos regredindo na história. Ações desse tipo só foram vistas no período militar. Nessa curta democracia não existiu ações desse tipo. Nós repudiamos veementemente essa ação do MEC, nada democrática”, dispara a coordenadora geral do Sindsep-PE, Graça Oliveira. Em todo o Brasil estudantes das universidades e institutos estão ocupando campis. Em Pernambuco, da base do Sindsep-PE, já estão paralisados os campis do IF Sertão-PE Ouricuri e Petrolina e o IFPE Recife e Pesqueira. Nesta quarta, 26, tem assembleia no IFPE de Belo Jardim para dsicutir a mobilização do setor.  Nesta terça, 25 de outubro, é Dia Nacional de Mobilização no setor da Educação. Em Recife, às 14h, tem ato público. A concentração será às 14h, na Faculdade de Direito, na rua do Riachuelo. Às 16h, os manifestantes saem em caminhada até a praça do Diario. A manifestação é contra a PEC 241 a reforma do ensino médio. Também vão participar da ação entidades sindicais estaduais e municipais do setor, como o Sintepe e a Adufepe. VOTAÇÃO DA PEC 241 Entre esta segunda e terça-feira, 24 e 25 de outubro, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241 será votada em segundo turno na Câmara dos Deputados. O primeiro dia será para apreciação no Plenário e o segundo, a votação dos destaques. As centrais sindicais e sindicatos de todo o Brasil estão mobilizados contra a matéria que congela os investimentos na educação e saúde por 20 anos.     No dia 24, ainda de madrugada, sindicalistas devem fazer um trabalho de corpo a corpo nos aeroportos de todo o Brasil para conversar com os parlamentares no embarque. Da mesma forma, os congressistas serão recebidos no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília. E os protestos não param por ai. A manifestação continua durante todo o dia 24 e entram pelo dia 25, no Congresso Nacional. De acordo com informações do site da Câmara, a PEC 241 pode ser votada no dia 9 de novembro pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania e pelo plenário do Senado, em primeiro turno. Já o segundo turno seria no dia 13 de dezembro.



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.