Manifestação contra a Reforma da Previdência, Trabalhista e a terceirização reúne 50 mil pessoas no Recife

"O povo brasileiro está indignado contra as reformas deste governo golpista. Temer que destruir com nossos direitos", disse Carlos Veras

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE com informações adicionais do G1 • Publicado em: 01/04/2017 - 11:09 • Última modificação: 01/04/2017 - 11:24 Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE com informações adicionais do G1 Publicado em: 01/04/2017 - 11:09 Última modificação: 01/04/2017 - 11:24

Bancários PE

As 50 mil pessoas que foram às ruas do recife, na sexta-feira, 31 de março, no dia nacional de mobilização, somadas às centenas de milhares de manifestantes em todo o Brasil, deram sinais de que o "abril vermelho", que chegará ao ponto máximo na GREVE GERAL DO DIA 28 DE ABRIL, será de intensa resistência ao golpe e aos ataques aos direitos da classe trabalhadora.

A CUT, AS CENTRAIS SINDICAIS E AS FRENTES BRASIL POPULAR E POVO SE MEDO, protestaram contra reforma da previdência de temer, contra reforma trabalhista, contra as terceirizações sem limites e por nenhum direito a menos. Vale ressaltar que a unidade da classe trabalhadora tem como objetivo principal pressionar a base aliada de Michel Temer no Congresso Nacional para que não votem pela retirada dos direitos dos trabalhadores.

A concentração da mobilização ocorreu na Praça da Independência, no bairro de Santo Antônio, na área central da capital pernambucana. Milhares de Manifestantes exibiam cartazes, banners, com frases contrárias à reforma e ao governo golpista do presidente Michel Temer. Havia, ainda, faixas com fotos dos deputados federais pernambucanos que votaram a favor da terceirização. 

Para o vice-presidente da Central Única dos Trabalhadores em Pernambuco (CUT-PE), Paulo Rocha, o ato foi uma oportunidade para relembrar os 53 anos de o golpe militar de 1964 e o golpe do ano passado contra a presidenta Dilma Rousseff. "As atividades que fizemos no dia de hoje foram importantes para acumularmos forças, para a grande greve geral do dia 28 de abril. Vamos parar o Brasil. As reformas de Temer vão ser barradas. Os trabalhadores não podem perder todos os seus direitos", salientou.

Por volta das 16h30, a Avenida Dantas Barreto, no bairro de Santo Antônio, teve o fluxo de carros interrompido pelos integrantes do ato. Às 17h, o grupo deixou a Praça da Independência, passando pelas Avenidas Guararapes e Conde da Boa Vista em direção à Praça da Democracia, no Derby. Uma passeata democrática, participativa que reuniu cores e sons que sopraram entre os edifícios do Centro do Recife e do bairro da Boa Vista.

Pouco antes das 19h, o grupo chegou à Avenida Agamenon Magalhães, uma das principais vias do Recife, e exibiu faixas para os motoristas, ocupando os dois sentidos da via.

De acordo com o presidente da CUT, Carlos Veras, até o dia 28 de abril, os sindicatos realizarão assembleias, reuniões, plenárias e manifestações nas empresas, portas de fábricas e locais de trabalho. “O povo brasileiro está indignado contra as reformas deste governo golpista. Temer que acabar e destruir os trabalhadores (as). É hora de reagir. A união de todos é fundamental para a vitória. Este é, na verdade, o único caminho para a mudança. É a luta, é a unidade da classe trabalhadora, para combater o governo ilegítimo de Michel Temer e seus apaniguados políticos. 28 de abril é dia de greve geral”, acentuou.

 

Título: Manifestação contra a Reforma da Previdência, Trabalhista e a terceirização reúne 50 mil pessoas no Recife, Conteúdo: As 50 mil pessoas que foram às ruas do recife, na sexta-feira, 31 de março, no dia nacional de mobilização, somadas às centenas de milhares de manifestantes em todo o Brasil, deram sinais de que o abril vermelho, que chegará ao ponto máximo na GREVE GERAL DO DIA 28 DE ABRIL, será de intensa resistência ao golpe e aos ataques aos direitos da classe trabalhadora. A CUT, AS CENTRAIS SINDICAIS E AS FRENTES BRASIL POPULAR E POVO SE MEDO, protestaram contra reforma da previdência de temer, contra reforma trabalhista, contra as terceirizações sem limites e por nenhum direito a menos. Vale ressaltar que a unidade da classe trabalhadora tem como objetivo principal pressionar a base aliada de Michel Temer no Congresso Nacional para que não votem pela retirada dos direitos dos trabalhadores. A concentração da mobilização ocorreu na Praça da Independência, no bairro de Santo Antônio, na área central da capital pernambucana. Milhares de Manifestantes exibiam cartazes, banners, com frases contrárias à reforma e ao governo golpista do presidente Michel Temer. Havia, ainda, faixas com fotos dos deputados federais pernambucanos que votaram a favor da terceirização.  Para o vice-presidente da Central Única dos Trabalhadores em Pernambuco (CUT-PE), Paulo Rocha, o ato foi uma oportunidade para relembrar os 53 anos de o golpe militar de 1964 e o golpe do ano passado contra a presidenta Dilma Rousseff. As atividades que fizemos no dia de hoje foram importantes para acumularmos forças, para a grande greve geral do dia 28 de abril. Vamos parar o Brasil. As reformas de Temer vão ser barradas. Os trabalhadores não podem perder todos os seus direitos, salientou. Por volta das 16h30, a Avenida Dantas Barreto, no bairro de Santo Antônio, teve o fluxo de carros interrompido pelos integrantes do ato. Às 17h, o grupo deixou a Praça da Independência, passando pelas Avenidas Guararapes e Conde da Boa Vista em direção à Praça da Democracia, no Derby. Uma passeata democrática, participativa que reuniu cores e sons que sopraram entre os edifícios do Centro do Recife e do bairro da Boa Vista. Pouco antes das 19h, o grupo chegou à Avenida Agamenon Magalhães, uma das principais vias do Recife, e exibiu faixas para os motoristas, ocupando os dois sentidos da via. De acordo com o presidente da CUT, Carlos Veras, até o dia 28 de abril, os sindicatos realizarão assembleias, reuniões, plenárias e manifestações nas empresas, portas de fábricas e locais de trabalho. “O povo brasileiro está indignado contra as reformas deste governo golpista. Temer que acabar e destruir os trabalhadores (as). É hora de reagir. A união de todos é fundamental para a vitória. Este é, na verdade, o único caminho para a mudança. É a luta, é a unidade da classe trabalhadora, para combater o governo ilegítimo de Michel Temer e seus apaniguados políticos. 28 de abril é dia de greve geral”, acentuou.  



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.