CUT-PE, Sintape, Sindserp, Sindupe e Sindpd realizam Ato Unificado

Protesto reuniu centenas de trabalhadores, com concentração na Avenida Boa Viagem e caminhada até a SAD. Secretaria prometeu analisar as reivindicações.

Escrito por: Redação Sintape • Publicado em: 27/10/2017 - 12:34 • Última modificação: 27/10/2017 - 12:42 Escrito por: Redação Sintape Publicado em: 27/10/2017 - 12:34 Última modificação: 27/10/2017 - 12:42

Sintape


Centenas de servidores públicos estaduais tomaram a Avenida Boa Viagem, Zona Sul do Recife, na manhã dessa quinta-feira, 26, num Ato Unificado promovido pelo Fórum dos Servidores do Estado. A manifestação, contra a política de negociação do Governo do Estado, reuniu trabalhadores da base do Sintape, Sindserp, Sindupe e Sindpd, coordenado pelo Fórum dos Servidores Estaduais da CUT-PE, representado pelo vice-presidente, Paulo Rocha. Em caminhada, os manifestantes seguiram até a Secretaria de Administração (SAD, na Avenida Antônio de Góes, bairro do Pina, para pressionar o secretário da pasta, Milton Coelho a receber uma comissão.


Mas foi o gerente de Política de Pessoal, Júlio Jonas, que mais uma vez atendeu o grupo formado por dez pessoas, duas de cada entidade presente no ato. As entidades sindicais apresentaram seus pleitos e ele prometeu analisar algumas das reivindicações das categorias e fazer um estudo financeiro para conceder o que for possível. Os diretores do Sintape, Antônio Angelim e Regivaldo Vitor, representaram o Sintape na conversa com Jonas. “Vamos esperar a resposta do Departamento de Pessoal da SAD para saber quais das nossas reivindicações foram analisadas positivamente”, destacou Angelim.


O Sintape levou para a mobilização os servidores e empregados da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) e Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). As duas categorias estão sem reajuste salarial há três anos, e desde agosto, se mobilizam no intuito de pressionar o Governo do Estado a abrir um canal de diálogo. As ações incluem paralisações de um dia, com suspensão dos  serviços e protestos em frente às sedes. A CPRH já decretou estado de greve e a duas instituições não descartam greve geral, caso a situação permaneça como está.


“Não vamos amargar mais prejuízos, com a falta de reposição salarial e outras carências da categoria. O pessoal da CPRH e da Apac, por exemplo, recebem diárias para realizar fiscalizações no interior do Estado, pouco acima dos R$ 50. O valor é absurdo! Não há condições de fazer um trabalho digno com tanta falta de respeito ao profissional. Queremos ser ouvidos e garantias de alguns direitos, inclusive o reajuste dos salários. O Governo não pode empurrar esta situação com o discurso da crise. Precisamos de uma resposta e uma solução urgente para os trabalhadores!”, desabafou Adailton Melo, presidente do Sintape.


O vice-presidente da CUT-PE, Paulo Rocha, lamentou a situação geral dos servidores públicos estaduais e a forma como o Executivo Estadual vem conduzindo a política de negociação com os sindicatos, sem qualquer respeito às categorias. “Os trabalhadores estão cansados. Cumprindo suas funções sem estímulo e em ambientes precários. A falta  de investimento no trabalhador e no serviço público de uma forma geral têm afetado o atendimento prestado à população. Não há com oferecer um serviço de qualidade, com a falta de estrutura observada hoje nas instituições. Sem contar, é claro, com os salários baixos que a maioria recebe. E o pior, sem reposição nenhuma já por anos. A CUT-PE tem acompanhado a situação e atuará junto aos sindicatos para reverter esse cenário!”


 

O protesto foi iniciado pela manhã no Segundo Jardim. Na SAD, o protesto foi realizado com encenação teatral e o apoio de um grupo de Maracatu. Todo o ato foi acompanhado pelo pessoal da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) e a Polícia Militar (PM). O trânsito ficou congestionado, mas sem engarrafamentos longos.




 

Título: CUT-PE, Sintape, Sindserp, Sindupe e Sindpd realizam Ato Unificado, Conteúdo: Centenas de servidores públicos estaduais tomaram a Avenida Boa Viagem, Zona Sul do Recife, na manhã dessa quinta-feira, 26, num Ato Unificado promovido pelo Fórum dos Servidores do Estado. A manifestação, contra a política de negociação do Governo do Estado, reuniu trabalhadores da base do Sintape, Sindserp, Sindupe e Sindpd, coordenado pelo Fórum dos Servidores Estaduais da CUT-PE, representado pelo vice-presidente, Paulo Rocha. Em caminhada, os manifestantes seguiram até a Secretaria de Administração (SAD, na Avenida Antônio de Góes, bairro do Pina, para pressionar o secretário da pasta, Milton Coelho a receber uma comissão. Mas foi o gerente de Política de Pessoal, Júlio Jonas, que mais uma vez atendeu o grupo formado por dez pessoas, duas de cada entidade presente no ato. As entidades sindicais apresentaram seus pleitos e ele prometeu analisar algumas das reivindicações das categorias e fazer um estudo financeiro para conceder o que for possível. Os diretores do Sintape, Antônio Angelim e Regivaldo Vitor, representaram o Sintape na conversa com Jonas. “Vamos esperar a resposta do Departamento de Pessoal da SAD para saber quais das nossas reivindicações foram analisadas positivamente”, destacou Angelim. O Sintape levou para a mobilização os servidores e empregados da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) e Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). As duas categorias estão sem reajuste salarial há três anos, e desde agosto, se mobilizam no intuito de pressionar o Governo do Estado a abrir um canal de diálogo. As ações incluem paralisações de um dia, com suspensão dos  serviços e protestos em frente às sedes. A CPRH já decretou estado de greve e a duas instituições não descartam greve geral, caso a situação permaneça como está. “Não vamos amargar mais prejuízos, com a falta de reposição salarial e outras carências da categoria. O pessoal da CPRH e da Apac, por exemplo, recebem diárias para realizar fiscalizações no interior do Estado, pouco acima dos R$ 50. O valor é absurdo! Não há condições de fazer um trabalho digno com tanta falta de respeito ao profissional. Queremos ser ouvidos e garantias de alguns direitos, inclusive o reajuste dos salários. O Governo não pode empurrar esta situação com o discurso da crise. Precisamos de uma resposta e uma solução urgente para os trabalhadores!”, desabafou Adailton Melo, presidente do Sintape. O vice-presidente da CUT-PE, Paulo Rocha, lamentou a situação geral dos servidores públicos estaduais e a forma como o Executivo Estadual vem conduzindo a política de negociação com os sindicatos, sem qualquer respeito às categorias. “Os trabalhadores estão cansados. Cumprindo suas funções sem estímulo e em ambientes precários. A falta  de investimento no trabalhador e no serviço público de uma forma geral têm afetado o atendimento prestado à população. Não há com oferecer um serviço de qualidade, com a falta de estrutura observada hoje nas instituições. Sem contar, é claro, com os salários baixos que a maioria recebe. E o pior, sem reposição nenhuma já por anos. A CUT-PE tem acompanhado a situação e atuará junto aos sindicatos para reverter esse cenário!”   O protesto foi iniciado pela manhã no Segundo Jardim. Na SAD, o protesto foi realizado com encenação teatral e o apoio de um grupo de Maracatu. Todo o ato foi acompanhado pelo pessoal da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) e a Polícia Militar (PM). O trânsito ficou congestionado, mas sem engarrafamentos longos.  



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.