Centrais sindicais e movimentos sociais na luta unitária contra as reformas de Temer

Centrais decidiram convocar Coletiva de Imprensa, para quarta-feira (28), às 10h, na sede da UGT, Rua da Concórdia, 381, bairro de São José.

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE • Publicado em: 26/06/2017 - 14:08 • Última modificação: 26/06/2017 - 16:50 Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE Publicado em: 26/06/2017 - 14:08 Última modificação: 26/06/2017 - 16:50

CUT-PE

Na manhã desta segunda-feira (26), a CUT, CTB, CGTB, CSP Conlutas, CSB, UGT, Pública Central do Servidor, Força Sindical, Intersindical, Nova Central, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, se reuniram no Recife e decidiram manter a luta unitária contra às reformas Trabalhista e Previdenciária do governo golpista de Michel Temer. A reunião foi na sede da CUT-PE, no bairro de Santo Amaro/Recife.

As centrais decidiram também convocar uma Coletiva de Imprensa, para quarta-feira (28), às 10h, na sede da UGT, Rua da Concórdia, 381 – 1º andar, bairro de São José, quando serão informados os objetivos das atividades de 30 de junho, Dia da Greve Geral. Vamos parar o Brasil contra as reformas, em defesa dos direitos e da aposentadoria, e Fora Temer! este é o lema decidido por todas as entidades presentes”.

No dia 30 de junho, estão previstas diversas paralisações a manifestações em todo o Brasil. “Nós estamos numa crescente da luta da classe trabalhadora, a CUT continua firme e resistência. A vitória na comissão que analisou a Reforma Trabalhista foi simbólica e isso nos anima. Nosso objetivo é enterramos essas duas reformas, e por esse motivo, continuamos em luta. No dia 30 de junho, teremos ocupações de rua, paralisações e atos públicos”, afirmou o presidente da CUT-PE, Carlos Veras.

A reprovação do texto da Reforma Trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais no último dia 20 mostrou que a unidade da CUT, de outras centrais e de movimentos populares na luta, na resistência e na pressão nos parlamentares para votarem a favor da classe trabalhadora estão no caminho certo.

Nesta semana a "reforma" pra acabar com direitos trabalhistas será debatida na Comissão de Constituição e Justiça´do Senado. Caso reprovado, a proposta será arquivada, mas se passar logo em seguida será levada a votação em plenário.

Título: Centrais sindicais e movimentos sociais na luta unitária contra as reformas de Temer, Conteúdo: Na manhã desta segunda-feira (26), a CUT, CTB, CGTB, CSP Conlutas, CSB, UGT, Pública Central do Servidor, Força Sindical, Intersindical, Nova Central, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, se reuniram no Recife e decidiram manter a luta unitária contra às reformas Trabalhista e Previdenciária do governo golpista de Michel Temer. A reunião foi na sede da CUT-PE, no bairro de Santo Amaro/Recife. As centrais decidiram também convocar uma Coletiva de Imprensa, para quarta-feira (28), às 10h, na sede da UGT, Rua da Concórdia, 381 – 1º andar, bairro de São José, quando serão informados os objetivos das atividades de 30 de junho, Dia da Greve Geral. Vamos parar o Brasil contra as reformas, em defesa dos direitos e da aposentadoria, e Fora Temer! este é o lema decidido por todas as entidades presentes”. No dia 30 de junho, estão previstas diversas paralisações a manifestações em todo o Brasil. “Nós estamos numa crescente da luta da classe trabalhadora, a CUT continua firme e resistência. A vitória na comissão que analisou a Reforma Trabalhista foi simbólica e isso nos anima. Nosso objetivo é enterramos essas duas reformas, e por esse motivo, continuamos em luta. No dia 30 de junho, teremos ocupações de rua, paralisações e atos públicos”, afirmou o presidente da CUT-PE, Carlos Veras. A reprovação do texto da Reforma Trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais no último dia 20 mostrou que a unidade da CUT, de outras centrais e de movimentos populares na luta, na resistência e na pressão nos parlamentares para votarem a favor da classe trabalhadora estão no caminho certo. Nesta semana a reforma pra acabar com direitos trabalhistas será debatida na Comissão de Constituição e Justiça´do Senado. Caso reprovado, a proposta será arquivada, mas se passar logo em seguida será levada a votação em plenário.



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.