Canavieiros (as) conquistaram salário de R$965 (reajuste de 2,22%)

Esses acordos foram firmados durante a 5ª rodada de negociação da 38ª Campanha Salarial da categoria.

Escrito por: Fetape • Publicado em: 31/10/2017 - 11:23 • Última modificação: 31/10/2017 - 11:48 Escrito por: Fetape Publicado em: 31/10/2017 - 11:23 Última modificação: 31/10/2017 - 11:48

Fetape

Canavieiros e canavieiras de Pernambuco conquistaram, na noite de hoje, um salário de R$965 (reajuste de 2,22%), piso de garantia de R$16,00 e cesta básica de R$ 45,00, e o que é mais importante: foram assegurados todos os direitos conquistados em convenções coletivas anteriores, a exemplo da manutenção das horas "in itinere" e da proibição da terceirização nas diferentes atividades do setor. Esses acordos foram firmados durante a 5ª rodada de negociação da 38ª Campanha Salarial da categoria.

“Diante da atual conjuntura de ameaça aos direitos, podemos dizer que os resultados dessa campanha foram extremamente positivos. No entanto, isso só aconteceu porque os nossos dirigentes não fugiram à luta e junto com os trabalhadores e trabalhadoras de suas bases resistiram e ficaram em permanente vigilância, mostrando disposição até para a realização de uma greve, caso fosse necessário”, conta o presidente da Fetaepe, Gilvan José Antunis.

Ele lembra ainda que esse trabalho conjunto, que envolveu os Sindicatos, a Fetaepe, Fetape e Contar, com o apoio da CUT e CTB, foi relevante para assegurar essas conquistas. “Por meio da nossa unidade, mostramos a força da nossa história de resistência e luta por direitos”, conclui Gilvan

O presidente da Fetape, Doriel Barros, também avalia: “O diálogo aberto e transparente, na mesa de negociação, resultou em avanços importantes para os trabalhadores, mesmo diante de uma conjuntura tão adversa. Isso foi fundamental”.

Título: Canavieiros (as) conquistaram salário de R$965 (reajuste de 2,22%), Conteúdo: Canavieiros e canavieiras de Pernambuco conquistaram, na noite de hoje, um salário de R$965 (reajuste de 2,22%), piso de garantia de R$16,00 e cesta básica de R$ 45,00, e o que é mais importante: foram assegurados todos os direitos conquistados em convenções coletivas anteriores, a exemplo da manutenção das horas in itinere e da proibição da terceirização nas diferentes atividades do setor. Esses acordos foram firmados durante a 5ª rodada de negociação da 38ª Campanha Salarial da categoria. “Diante da atual conjuntura de ameaça aos direitos, podemos dizer que os resultados dessa campanha foram extremamente positivos. No entanto, isso só aconteceu porque os nossos dirigentes não fugiram à luta e junto com os trabalhadores e trabalhadoras de suas bases resistiram e ficaram em permanente vigilância, mostrando disposição até para a realização de uma greve, caso fosse necessário”, conta o presidente da Fetaepe, Gilvan José Antunis. Ele lembra ainda que esse trabalho conjunto, que envolveu os Sindicatos, a Fetaepe, Fetape e Contar, com o apoio da CUT e CTB, foi relevante para assegurar essas conquistas. “Por meio da nossa unidade, mostramos a força da nossa história de resistência e luta por direitos”, conclui Gilvan O presidente da Fetape, Doriel Barros, também avalia: “O diálogo aberto e transparente, na mesa de negociação, resultou em avanços importantes para os trabalhadores, mesmo diante de uma conjuntura tão adversa. Isso foi fundamental”.



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.