200 mil corações e mentes protestam contra as reformas no Recife

Uma sexta-feira de luta marcou o dia 28 de abril (Greve Geral) para a classe trabalhadora do Brasil. Em Pernambuco, foi histórico.

Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE • Publicado em: 29/04/2017 - 18:50 • Última modificação: 29/04/2017 - 18:55 Escrito por: Assessoria de Imprensa da CUT-PE Publicado em: 29/04/2017 - 18:50 Última modificação: 29/04/2017 - 18:55

Tempus Comunicação

200 mil corações e mentes protestam contra às reformas Trabalhista e da Previdência no Recife

Por Assessoria de Imprensa da CUT Pernambuco

Uma sexta-feira de luta marcou o dia 28 de abril (Greve Geral) para a classe trabalhadora do Brasil. Em Pernambuco, foi histórico. Aproximadamente 200 mil corações e mentes saíram às ruas para protestar contra as reformas Trabalhista e da Previdência no Recife.As centrais sindicais - CUT, CTB, CGTB, CSP Conlutas, UGT, Força Sindical, Pública Central do Servidor, Nova Central e Intersindical, com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, demonstraram nas ruas desde o começo da manhã, garra, mobilização e resistência de enfrentar as medidas do governo golpista de Temer.

Sindicalistas e manifestaram afirmaram que o dia 28 de abril (Greve Geral) foi um recado para os apaniguados políticos de governo Temer, que chegaram a dizer que os grevistas queriam apenas emendar o feriado do Dia do Trabalho. “ Para todos aqueles que ficaram falando mentiras, duvidando da Greve Geral na Mídia, afirmando que os trabalhadores não iriam reagir, que era conversa fiada das Centrais Sindicais, hoje está aqui a prova. A Greve Geral teve adesão e apoio histórico de milhares de trabalhadores e trabalhadoras” comentou o presidente da CUT, Carlos Veras.

Várias categorias do serviço publico e privado, do campo e da cidade, o MST, a Fetape, as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, os grupos feministas, de mulheres, da juventude, estiveram firmes nas manifestações, fazendo protestos nas comunidades, nos bairros, nas ruas. “Foi um movimento bonito que se mobilizou de cada canto Vamos continuar nessa trincheira de luta, realizando outras atividades. Não vamos admitir nenhum direito a menos”, ressaltou Veras.

MOVIMENTAÇÃO
Vale frisar que a mobilização começou na noite da quinta-feira (27), com companheiros do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Marreta) que, interditaram o canteiro de uma obra na rua da Concórdia, centro do Recife. Em seguida, os rodoviários foram para as portas das garagens dos ônibus e convenceram os colegas para aderirem ao movimento. Durante todo o dia, as paradas de ônibus estiveram vazias, bem como os terminais integrados de passageiros.

Segundo Roberto Carlos, presidente da Associação dos Rodoviários de Pernambuco (Abirpe), a estratégia foi não deixar sair os ônibus “bacurais”, que trazem os trabalhadores, fazendo com que eles ficassem sem ter como vir trabalhar. Apenas caixas eletrônicos funcionam. Os bancários fizeram ato na Caixa Econômica Federal da Avenida Conde da Boa Vista, no centro do Recife.
Os servidores federais de orgãos públicos fizeram greve. na Ebserh, CNEN, Ministério da Agricultura, Incra, Ministério da Fazenda, SRTE, Funasa, Ministério da Saúde, UFPE, Ibama, além daqueles lotados nos municípios de Palmares, Vitória, Garanhuns, Araripina, Salgueiro e Petrolina, além dos IFs campi Floresta e Pesqueira. Escolas públicas estaduais, municipais e particulares não funcionaram.

GRANDE MANIFESTAÇÃO PÚBLICA
À tarde, os movimentos sociais, populares, estudantes, associações de moradores se uniram às centrais sindicais, na praça do Derby. Os trabalhadores estão sofrendo o maior ataque aos seus direitos dos últimos 30 anos. De forma declarada, o governo golpista, a maioria dos deputados, mídia e empresários estão querendo destruir o sistema de proteção social conquistados com muita e resistência. Lá foi realizado um grande público em vários trios elétricos. As bandeiras, faixas e banners tomaram conta do todas as ruas e avenidas circunvizinhas à praça. Logo em seguida, os manifestantes ocuparam as Avenidas Agamenon Magalhães e Conde da Boa Vista, na maior manifestação pública já realizada no Recife. O protesto encerrou após às 19h.

RESUMO 
Metrô: Funcionou com esquema especial até as 9h. Estações fechadas até as 16h..
- Delegacias: segundo Polícia Civil, as delegacias de plantão funcionam normalmente. 
- UFPE, UPE, Unicap e UniFG: não tiveram aula
- - Correios: Fechada agência da Avenida Cruz Cabugá, no centro do Recife. .
- Aeroporto dos Guararapes: vias de acesso foram liberadas pela PM. Segundo Infraero, não houve atrasos de voos nem cancelamentos
- Estações de ônibus BRT, no Centro do Recife, ficaram fechadas na manhã desta sexta-feira (28)
As lojas comerciais na região central do Recife, não abriram as portas. 
As Avenidas Agamenon Magalhães, Conde da Boa Vista e Guararapes principais vias do Recife, ficaram praticamente vazias.
Nas imediações do Mercado de São José e rua das Calçadas, região central do Recife e coração do comércio da capital, até mesmo as barracas de ambulantes não funcionaram.
BLOQUEIOS/vias bloqueadas:
Os movimentos feministas de Recife pararam nesta manhã a Avenida Cruz Cabugá/ bairro de Santo Amaro..
Os companheiros do MST, Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo estiveram nos bloqueios dos quilômetros 125 e 126 da BR-101, entre Ipojuca e Escada, no Grande Recife: uma via apenas liberada
- Quilômetro 9 do BR-232, no Curado, (carros passam apenas pela via local); Bloqueio na Avenida Recife, Zona Oeste.
- Quilômetro 9 da BR-232, bairro do Curado
- Quilômetro 7 e 72 da BR-101, no município de Goiana e no bairro do Barro, respectivamente
- Quilômetro 120 da BR-101, em Escada, Zona da Mata
- - Estrada da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife
PRF informou que houve bloqueios também no quilômetro 14 da BR-232, em Jaboatão, próximo do Alphaville, e no quilômetro 35, em Bonança.
Em Goiana, na Mata Norte de Pernambuco, manifestantes interditaram a BR-101, que liga Pernambuco à Paraíba, por volta das 9h20.

Título: 200 mil corações e mentes protestam contra as reformas no Recife, Conteúdo: 200 mil corações e mentes protestam contra às reformas Trabalhista e da Previdência no Recife Por Assessoria de Imprensa da CUT Pernambuco Uma sexta-feira de luta marcou o dia 28 de abril (Greve Geral) para a classe trabalhadora do Brasil. Em Pernambuco, foi histórico. Aproximadamente 200 mil corações e mentes saíram às ruas para protestar contra as reformas Trabalhista e da Previdência no Recife.As centrais sindicais - CUT, CTB, CGTB, CSP Conlutas, UGT, Força Sindical, Pública Central do Servidor, Nova Central e Intersindical, com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, demonstraram nas ruas desde o começo da manhã, garra, mobilização e resistência de enfrentar as medidas do governo golpista de Temer. Sindicalistas e manifestaram afirmaram que o dia 28 de abril (Greve Geral) foi um recado para os apaniguados políticos de governo Temer, que chegaram a dizer que os grevistas queriam apenas emendar o feriado do Dia do Trabalho. “ Para todos aqueles que ficaram falando mentiras, duvidando da Greve Geral na Mídia, afirmando que os trabalhadores não iriam reagir, que era conversa fiada das Centrais Sindicais, hoje está aqui a prova. A Greve Geral teve adesão e apoio histórico de milhares de trabalhadores e trabalhadoras” comentou o presidente da CUT, Carlos Veras. Várias categorias do serviço publico e privado, do campo e da cidade, o MST, a Fetape, as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, os grupos feministas, de mulheres, da juventude, estiveram firmes nas manifestações, fazendo protestos nas comunidades, nos bairros, nas ruas. “Foi um movimento bonito que se mobilizou de cada canto Vamos continuar nessa trincheira de luta, realizando outras atividades. Não vamos admitir nenhum direito a menos”, ressaltou Veras. MOVIMENTAÇÃO Vale frisar que a mobilização começou na noite da quinta-feira (27), com companheiros do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Marreta) que, interditaram o canteiro de uma obra na rua da Concórdia, centro do Recife. Em seguida, os rodoviários foram para as portas das garagens dos ônibus e convenceram os colegas para aderirem ao movimento. Durante todo o dia, as paradas de ônibus estiveram vazias, bem como os terminais integrados de passageiros. Segundo Roberto Carlos, presidente da Associação dos Rodoviários de Pernambuco (Abirpe), a estratégia foi não deixar sair os ônibus “bacurais”, que trazem os trabalhadores, fazendo com que eles ficassem sem ter como vir trabalhar. Apenas caixas eletrônicos funcionam. Os bancários fizeram ato na Caixa Econômica Federal da Avenida Conde da Boa Vista, no centro do Recife. Os servidores federais de orgãos públicos fizeram greve. na Ebserh, CNEN, Ministério da Agricultura, Incra, Ministério da Fazenda, SRTE, Funasa, Ministério da Saúde, UFPE, Ibama, além daqueles lotados nos municípios de Palmares, Vitória, Garanhuns, Araripina, Salgueiro e Petrolina, além dos IFs campi Floresta e Pesqueira. Escolas públicas estaduais, municipais e particulares não funcionaram. GRANDE MANIFESTAÇÃO PÚBLICA À tarde, os movimentos sociais, populares, estudantes, associações de moradores se uniram às centrais sindicais, na praça do Derby. Os trabalhadores estão sofrendo o maior ataque aos seus direitos dos últimos 30 anos. De forma declarada, o governo golpista, a maioria dos deputados, mídia e empresários estão querendo destruir o sistema de proteção social conquistados com muita e resistência. Lá foi realizado um grande público em vários trios elétricos. As bandeiras, faixas e banners tomaram conta do todas as ruas e avenidas circunvizinhas à praça. Logo em seguida, os manifestantes ocuparam as Avenidas Agamenon Magalhães e Conde da Boa Vista, na maior manifestação pública já realizada no Recife. O protesto encerrou após às 19h. RESUMO  Metrô: Funcionou com esquema especial até as 9h. Estações fechadas até as 16h.. - Delegacias: segundo Polícia Civil, as delegacias de plantão funcionam normalmente.  - UFPE, UPE, Unicap e UniFG: não tiveram aula - - Correios: Fechada agência da Avenida Cruz Cabugá, no centro do Recife. . - Aeroporto dos Guararapes: vias de acesso foram liberadas pela PM. Segundo Infraero, não houve atrasos de voos nem cancelamentos - Estações de ônibus BRT, no Centro do Recife, ficaram fechadas na manhã desta sexta-feira (28) As lojas comerciais na região central do Recife, não abriram as portas.  As Avenidas Agamenon Magalhães, Conde da Boa Vista e Guararapes principais vias do Recife, ficaram praticamente vazias. Nas imediações do Mercado de São José e rua das Calçadas, região central do Recife e coração do comércio da capital, até mesmo as barracas de ambulantes não funcionaram. BLOQUEIOS/vias bloqueadas: Os movimentos feministas de Recife pararam nesta manhã a Avenida Cruz Cabugá/ bairro de Santo Amaro.. Os companheiros do MST, Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo estiveram nos bloqueios dos quilômetros 125 e 126 da BR-101, entre Ipojuca e Escada, no Grande Recife: uma via apenas liberada - Quilômetro 9 do BR-232, no Curado, (carros passam apenas pela via local); Bloqueio na Avenida Recife, Zona Oeste. - Quilômetro 9 da BR-232, bairro do Curado - Quilômetro 7 e 72 da BR-101, no município de Goiana e no bairro do Barro, respectivamente - Quilômetro 120 da BR-101, em Escada, Zona da Mata - - Estrada da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife PRF informou que houve bloqueios também no quilômetro 14 da BR-232, em Jaboatão, próximo do Alphaville, e no quilômetro 35, em Bonança. Em Goiana, na Mata Norte de Pernambuco, manifestantes interditaram a BR-101, que liga Pernambuco à Paraíba, por volta das 9h20.



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.